Friday, October 28, 2005

Quero aproveitar o meu lindo blog da pesca e afins para dizer:

TOU FARTA DE TODOS OS KILÓMETROS QUE TENHO DE FAZER QUER PRA TRABALHAR QUER PRA IR VER FAMÍLIA QUER PRA IR VER AMIGOS. TOU FARTA DE PESQUISAR COLHÕES DE DADOS PRA DEPOIS TRATAR E POR EM RELATORIOS. TOU FARTA DE ESTRADA E DE CAMIÕES. QUERO SER CANTORA QUERO SER ACTRIZ. QUERO IR PRO MAR E NAVEGAR. QUERO QUE NINGUEM SE QUEIXE A MIM DA VIDA NÃO ME QUERO QUEIXAR DA VIDA. QUERO DESCANSAR POR AGORA.

ok
obrigado

Wednesday, October 19, 2005

Update

Apenas um update pequenino ao post "Cotadinos dos pescadores":
Entidades fiscalizadoras da apanha de bivalves recentemente divulgaram alguns resultados de um relatório sobre as actividades pescatórias que se desenrolam nas Rias.
Um dos côtadinos aparentemente faz cerca de 50 mil contos (!) por ano na venda ilicita de moluscos bivalves.
Realmente a vida está má...

Friday, October 14, 2005

Recursos pesqueiros - com fim à vista?


No Atlântico Norte a maior parte dos recursos estão completamente explorados, sobre-explorados ou esgotados, apesar do investimento humano e financeiro na gestão das pescas, investigação, monitorização, vigilância e controlo

(FAO- Revisão do estado dos recursos da pesca -2005)

Triste não é?
E o mais triste é que parece que por mais tentativas que se façam, é difícil travar este declínio ... e não se trata só do Atlântico Norte ... por outras águas o mesmo fenómeno também ocorre ...

Muitos barcos, má conduta por parte dos agentes económicos e dos que exploram e regulam os recursos?
Talvez....
Uma coisa é certa ... se não se der tempo aos recursos para recuperarem ... qualquer dia algumas espécies de peixes só mesmo por fotografia!

Wednesday, October 12, 2005

Mestre Zum

O dia começara claro. A praia, bonita.
O meu trabalho diário é com pescadores e como tal, sempre que me é possibilitado, vou ao encontro deles.
Há um mestre que tem a fama de rebelde, duro e vil. O Mestre Zum.
Eu só vim a sentir isto na pele, quando um dia calhou a vez de ir falar com ele. O local era um café, perto da praia onde os barcos são içados para terra. Os pescadores juntam-se aí, ao meio do dia, bebendo e comendo pra descansar do mar.
Ora, eu e ele disputaríamos uma injusta batalha. Eu pequena mulher de descontracção algarvia, ele corpulenta figura chateado com o mundo. Lembro do café quase vazio, lembro das poucas pessoas que me olhavam de modo hostil, lembro do som daquela voz a vibrar no café todo, lembro dos olhos a raiar de fúria e do esbracejar grande que acompanhava com as palavras, lembro que disse umas belas verdades, lembro que houve uma altura que me enfureci também e que também respondi à letra e falei das injustiças que havia em todos os trabalhos e falei na importância da comunicação e falei do meu trabalho e falei que precisava dos pescadores e falei que nunca se punha tudo no mesmo saco, que nunca uma pessoa simbolizava toda a merda feita pelas entidades oficiais.... e falei de tudo para não me sentir pequena e impotente, pra não chorar de nervosismo. Depois parti, dizendo que iria pregar pra outra freguesia, continuar o meu trabalho, visto o Mesmtre Zum se ter negado a me ajudar.
Saí do café desfeita, mas a sorrir. Fui para a praia, agora mais feia. Senti-me um cócó nesse preciso momento. Queria falar com mais pescadores, mas o Mestre Zum deixara-me sem pio.
Olhei o mar, e pareceu-me ouvir "oh menina!". Olhava o mar e ouvi de novo "OH MENINA!". O som vinha por trás de mim. Deixei de olhar o mar. Atrás de mim e á frente do mar, estava o mestre Zum, que me disse "Então vá, diga lá o que é, que eu ajudo-a. É que eu também tenho uma filha, sabe?". Apetecia-me abraçá-lo, mas simplesmente agradeci e com um sorriso de orelha a orelha, fiz o meu trabalho.
O dia continuou claro e a praia mais bonita.

História vivida e romanceada por Gamba da Costa.

Sunday, October 09, 2005

Vamos lá votar!

Hoje fomos a votos! Fomos todos chamados a exercer o nosso dever cívico!
Prefiro pensar no acto de votar como um direito que tenho como cidadã, o direito de fazer uma escolha!
Mas sinceramente existem coisas que me deixam perplexa!
Quando fui exercer o tal dever cívico, constatei ao chegar à mesa de voto, que mais uma vez se tinham enganado no meu sobrenome .... mas querem saber a melhor?
Votei na mesma!
Há pois é ... existe um engano com umas vogais no meu sobrenome, mas nem assim deixei de colocar a cruzinha onde bem me apeteceu....
Mudei de cidade já lá vão uns 5 anitos, não teria já sido tempo suficiente para dar com o erro?
Seja como for, votei ...
...agora só espero que os governantes tão democraticamente eleitos assumam responsabilidades e tentem pelo menos manter o nosso belo país à tona de água...

Thursday, October 06, 2005

Haja pachorra

Andava eu a navegar e vejam só o que encontrei sobre o "nosso caro amiguinho" Bush....
Este é dos tais que não pesca mesmo nada...

http://www.dailytimes.com.pk/default.asp?page=story_7-10-2005_pg7_11

Apresento apenas um excerto para quem não tiver paciência de ler tudo...

"He compared terrorist leaders to ideological ‘fanatics’ Soviet leader Joseph Stalin, Nazi tyrant Adolf Hitler, and Cambodia’s Khmer Rouge kingpin Pol Pot." até aqui, pronto, cada um com a sua mania...
mas depois diz esta frase linda:

“Evil men obsessed with ambition and unburdened by conscience must be taken very seriously and we must stop them before their crimes multiply,” Bush said.

O.K
e eu pergunto:
E QUEM É QUE TE PÁRA A TI???? ÉS DEUS POR ACASO?

Tuesday, October 04, 2005

Não pescam nada de nada

Hoje o post é politico! Ou pelo menos vai-se tentar que seja!

Pegando nas sábias palavras da minha colega Gamba da Costa (reconhecidissima comentadora de coisas do piorio) para quê tantos cartazes com caras horríveis espalhados pelas nossas cidades???? É que pelo menos podiam ter tido o cuidado de escolher boas fotos... É que há p'rá aqui cada carantonha que mais parece uma locomotiva à meia noite... (Poder-se-à dizer então que as agências de publicidade e os fotógrafos escolhidos para as campanhas, não pescam mesmo nada do trabalho que andam a fazer...)
As cidades já estão sujas por si, meus amigos, não é preciso contribuirem mais!!
Para além de que, alguns dos cartazes estão tão mal posicionados que é uma sorte não haver mais acidentes por causa deles. Também há a hipótese de nos assustarmos com as carantonhas e por vontade própria nos atirarmos para uma ribanceira qualquer... (Logo, também os palhaçitos das bases dos partidos regionais, que andam a tentar semear nome, para que nas próximas eleições serem eles a terem o tacho, e as próprias entidades que supostamente analisam a viabilidade dos pontos de colocação de cartazes, também não pescam minimamente nada do que andam a fazer)
Já nem se fala nas frases que acompanham as "lindas" faces dos nossos políticos, das quais raramente se tira algum sentido prático ou de verdadeira obra.
A que se resume então a politica no nosso país?
Promessas gritadas em campanha: "Só eu é que faço bem, os outros fazem todos mal! Não prestam para nada! Votem em mim, que eu sou de confiança!" quando o que realmente querem dizer é: "tirem de lá o palhaço que ele já ganhou dinheiro suficiente, agora é a minha vez!";
Fazer obras mal feitas e à pressa um ano antes das eleições, apenas para dizer que se fez, não interessando a qualidade e a necessidade do que se fez;
Andar a gastar dinheiro dos contribuintes e dos pobres ignorantes que pagam cotas ao partido pensando (e acredito que com boa intenção) que estão a contribuir em alguma coisa para o nosso país. É jantaradas, almoçaradas, posters, papéis e papelinhos (só faltam as fitinhas do Carnaval) e festas e convívios e apertos de mão e beijinhos que chegam a enjoar tal é o nível de hipocrisia!!!! Então neste caso já não é preciso apertar o cinto???
E depois, no final das eleições, quando o povo que ainda possui alguma esperança de que o seu voto poderá realmente fazer diferença vai às urnas, assiste-se ao cinismo do vencedor que elogia o perdedor, e o perdedor que dá os parabéns ao vencedor, garantindo que se manterá na oposição, ou seja, que será sempre do contra, quer as ideias sejam boas ou más.
Um mês depois já ninguém se lembra da pessoa que foi eleita, do que prometeram eles, e do que andam eles a fazer, porque o que interessa é estar lá. Fazer? Fazem todos o mesmo: falar, falar, falar e não dizer nada. Lançam as redes ao mar, mas nunca ninguém pesca peixinho nenhum...
Posso não pescar muito de politica, mas não serei uma abstencionista nem aconselho ninguém a sê-lo. Estou farta de os ouvir dizer que as novas gerações não se interessam nada pela politica e pelo país. Eu acho que somos os que mais nos interessamos (caramba, amanhã nós seremos a geração trabalhadora (se nos deixarem) que poderá levar este pais a algum lado). Simplesmente eles ainda não perceberam que são ELES que devem mudar e não nós, "as novas gerações". Falando por mim, interesso-me imenso pelo destino do meu país e irei exercer o meu direito de voto! Não é por eles terem adquirido um estilo de politica apático, baixo, baseado em insultos e no que os outros não fizeram e fizeram mal que também eu ficarei apática relativamente a tudo o que me rodeia.
Vou votar sim, pelo nosso pequenininho pais, mas que é nosso e é tão bonito, mas não voto em ninguém! Voto em branco e espero sinceramente que muitos votos brancos aconteçam, para que eles não se possam desculpar com a abstenção, dizendo que o povo não está interessado, mas que assumam de uma vez por todas que a politica que fazem não presta e que mudem alguma coisa! (sim, eu sei...também sou um bocado lírica...).
Vamos às urnas? E mostrar a essas caras feias que não os queremos lá a não ser quando começarem a pescar alguma coisa do que fazem, sem ser o dinheiro?